Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Auxiliar de Memória de Acontecimentos do Mundo onde Vivemos

Bom Senso "É conservar uma Atitude Harmonizada em momentos decisão..., conflito..., possuir a capacidade de evitar a prática de acções ou actos impensados no intuito de posteriormente não se sentir embaraço, arrependimento..." Bomsenso

Bom Senso "É conservar uma Atitude Harmonizada em momentos decisão..., conflito..., possuir a capacidade de evitar a prática de acções ou actos impensados no intuito de posteriormente não se sentir embaraço, arrependimento..." Bomsenso

Auxiliar de Memória de Acontecimentos do Mundo onde Vivemos

09
Fev09

Mário Soares - Transformar Tribunal da Boa-Hora em hotel de charme é uma pouca-vergonha

bomsensoamiguinhos

 

Tribunal da Boa-Hora

 

Tribunal da Boa Hora, Armando Serôdio, 1968, Arquivo Municipal de Lisboa, AFML - A64149

 

 

Localização
Calçada de São Francisco nº 39, Largo da Boa Hora nº 1, Rua Nova do Almada nº 17-45
Freguesia: Mártires

Data
Século XVIII

O convento foi fundado em 1633 por D. Luís de Castro do Rio no antigo sítio conhecido por Pátio das Comédias contíguo ao Palácio do Conde de Barbacena. Viveram no convento os padres dominicanos irlandeses até 1659, altura em que foram transferidos para uma nova casa no Corpo Santo. O convento foi então cedido aos irmãos da Congregação de S. Filipe de Néri até 1677 e aos  Reverendos Agostinhos Descalços, que entraram em Portugal sob a protecção da rainha D. Luísa de Gusmão.

O terramoto de 1755, danificou muito o edifício obrigando a sua reconstrução. Com a extinção das Ordens Religiosas em 1834, o convento serviu de quartel ao 1º Batalhão dos Voluntários do Comércio, de sede da Guarda Nacional de Lisboa para finalmente ficar na dependência do Ministério da Justiça, transformando-se no actual Tribunal da Boa Hora.
 

 

♦♦♦

Sapo Noticias

09 de Fevereiro de 2009

 

 

 

Justiça: Transformar Tribunal da Boa-Hora em hotel de charme é uma pouca-vergonha - Mário Soares
 
 
09 de Fevereiro de 2009, 21:25
 
Lisboa, 09 Fev (Lusa) - O ex-Presidente da República Mário Soares considerou hoje "uma pouca-vergonha" a possível transformação das instalações do Tribunal da Boa-Hora num hotel de charme.
 
"É uma pouca-vergonha.
É preciso não deixar esquecer a memória histórica",
 
afirmou o antigo Presidente da República durante a sua intervenção na Conferência "Boa-Hora - Um Tribunal com História", promovida pela Associação dos Juízes Pela Cidadania, que decorreu hoje na Sexta Vara do Tribunal da Boa-Hora.
 
Por sua vez, o juiz desembargador Rui Rangel acusou o Governo de "falta de sensibilidade" ao querer afectar o Tribunal da Boa-Hora à recuperação da zona ribeirinha de Lisboa.
 
"Desta sessão saiu um movimento em defesa do Tribunal da Boa-Hora, que vamos agora concretizar para que, no fundo, seja um movimento expressivo de denúncia deste enorme escândalo que é retirar da Justiça este património valioso e decisivo", afirmou Rui Rangel.
 
Segundo o presidente da Associação, "a grande adesão" que se fez sentir na sala onde decorria a iniciativa demonstra "que, de facto, as pessoas estão preocupadas e querem preservar e ter carinho pela memória".
 
"Esta insensibilidade de destruir tudo o que é memória é uma coisa trágica", realçou Rui Rangel.
 
O edifício do Tribunal da Boa-Hora, um antigo convento na Rua Nova do Almada, faz parte de um conjunto de edifícios que o Governo pretende alienar, uma vez que vai concentrar no Parque das Nações as diversas varas criminais que ali funcionam e 25 serviços do Ministério da Justiça.
 
A transformação do edifício da Boa-Hora em hotel está prevista no plano da Sociedade Frente Tejo para a frente ribeirinha.
 
Pelo edifício da Boa-Hora, que deverá ficar vago até final de Julho, passaram julgamentos históricos como os realizados pelo Tribunal Plenário durante o salazarismo.
 
NM.
Lusa/fim

♦♦♦

 

ver

Posts relacionados

bomsensoamiguinhos.blogs.sapo.pt/82667.html

 

♦♦♦

 

06
Fev09

TSF - Tribunal da boa-Hora - O Acórdão Final

bomsensoamiguinhos

 

Ontem

 
O velho tribunal da Boa-Hora, em Lisboa, prepara-se para fechar as portas, instalando-se na nova cidade judiciária da capital. Durante mais de século e meio, foi palco de milhões de  processos, casa de magistrados, advogados, escrivães, polícias, ladrões e outros meliantes.

É também poiso de alguns mirones certos, como é o caso da D. Celeste, que gosta sobretudo quando há julgamentos de “cabeçolas”. A TSF foi em busca de histórias e memórias e visitou os calabouços revestidos de inscrições de detidos. Nas catacumbas, verificou que os arquivos mortos são os ouvintes impávidos e serenos dos ensaios da banda Dura Lex, um conjunto musical de gente das leis.

O Acórdão Final é uma grande reportagem de Ana Catarina Santos com sonoplastia de Alexandrina Guerreiro.

Ouça AQUI a reportagem aúdio.

 

Audio

 www.tsf.pt/paginainicial/AudioeVideo.aspx

 

 

 

 

TSF

O Acórdão Final

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

ESPAÇOS DO AUTOR

====================== INFORMAÇÃO GLOBAL PANDEMIA - LINKS UTEIS ======================

  • ======================

GRIPE HUMANA DE ORIGEM SUíNA, AVIÁRIA, PANDEMIA -> LINKS ÚTEIS

GRIPE HUMANA (Aviária e Pandemia) Ministérios Outros Países

PRESIDENTE DA REPÚBLICA

PESSOAS ADMIRÁVEIS

LEGISLAÇÃO

=> DIREITOS HUMANOS

INSTITUIÇÕES NACIONAIS

SIC-Soc. Informação e Conhecimento

FINANÇAS / IMPOSTOS

UE - INST. EUROPEIAS

Finanças,Gestão, Economia...

INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS

MÚSICOS E MÚSICAS

Imprensa / Informação

ONLINE - RÁDIO / TV / Imagens

EDITORES

ESPAÇOS CULTURAIS

LIVRARIAS

DADOS HISTÓRICOS

LIVREIROS / ALFARRABISTAS

ESPAÇOS AMIGOS

ESPAÇOS SUGERIDOS

VALEU A PENA CONHECER

RESTAURANTES

-> V I O L Ê N C I A

MEDICINA DENTÁRIA

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D