Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Auxiliar de Memória de Acontecimentos do Mundo onde Vivemos

Bom Senso "É conservar uma Atitude Harmonizada em momentos decisão..., conflito..., possuir a capacidade de evitar a prática de acções ou actos impensados no intuito de posteriormente não se sentir embaraço, arrependimento..." Bomsenso

Bom Senso "É conservar uma Atitude Harmonizada em momentos decisão..., conflito..., possuir a capacidade de evitar a prática de acções ou actos impensados no intuito de posteriormente não se sentir embaraço, arrependimento..." Bomsenso

Auxiliar de Memória de Acontecimentos do Mundo onde Vivemos

21
Jul09

Socorros a Náufragos - Só Figueiró dos Vinhos e Penela Pediram Apoio

bomsensoamiguinhos

 

SOL

19-JUL-2009

 

Socorros a náufragos
Câmaras ignoram apoio do ISN
 
Por Emanuel Costa
 

Só os municípios de Figueiró dos Vinhos e Penela pediram apoio, este ano, ao Instituto de Socorros a Náufragos (ISN), para preparar a época balnear, revelou ao SOL Nuno Leitão, porta-voz da da instituição, numa notícia publicada esta sexta-feira na edição impressa. Neste domingo houve mais uma vítima

 

 

Em Figueiró dos Vinhos, concelho a norte de Leiria, a câmara municipal pediu ao ISN uma auditoria a duas praias fluviais, a das Fragas de São Simão e a de Aldeia Ana de Aviz. Já Penela, no distrito de Coimbra, quis que a praia da Louçaínha fosse integrada no arranque da campanha nacional do ISN, ‘Verão campeão’, de sensibilização para a segurança na prática balnear.
 
«Nós podemos fazer estas auditorias, formações ou campanhas de sensibilização em qualquer lado. Estamos disponíveis», explica o comandante Nuno Leitão, mas lembra que nas zonas onde o ISN não tem jurisdição, só deverá ou poderá actuar «após pedido».
A jurisdição sobre as praias fluviais portuguesas é complexa e muito dispersa, pois o ISN, instituto dependente da Marinha, só controla as zonas costeiras e as praias dos principais rios: Minho, Douro, Tejo (até Vila Franca de Xira) e Guadiana, que representam cerca de 130 km. As restantes estão sob a tutela das cinco administrações das regiões hidrográficas, do Serviço de Protecção da Natureza, da GNR, e ainda das câmaras municipais. Estas praias podem estar ou não aprovadas pelos Ministérios da Defesa e do Ambiente – 48 foram licenciadas este ano –, mas isso não implica que as recusadas estejam interditas a banhistas.
Por outro lado, o ISN é o órgão regulador que define e apresenta «as regras gerais da prática balnear, costeira ou fluvial», e «a única entidade que  forma os nadadores salvadores», destaca Nuno Leitão. O bom funcionamento das zonas de praia fluvial, quer a nível de condições e segurança da água e areal, quer relativamente à existência e qualidade dos apoios de primeiros-socorros, dependem das regras estipuladas pelo ISN. É esta entidade que tem as melhores meios para avaliar todos estes factores.
Uma maior aproximação ao ISN é defendida também pelo vice-presidente do Instituto da Água. Segundo Rocha Afonso, «essa aproximação é fundamental, pelo que as formas de colaboração devem ser aprofundadas face aos acontecimentos que se vão verificando». O mesmo responsável afirma ainda que os concessionários das praias também têm de ser responsabilizados.
Prevenir acima de tudo
Nuno Leitão afirma que a campanha de sensibilização do ISN deste ano terá abrangido 70 mil crianças nas escolas. O patrocínio da operadora móvel Vodafone permitiu também dotar as praias de telemóveis e bóias com um número de emergência. Mas apesar destas campanhas chegarem também a pessoas que frequentam praias fluviais, o porta-voz do ISN recorda que os perigos de uma praia fluvial «são completamente diferentes» . As lamas, os obstáculos escondidos no fundo, a profundidade da água, a pouca flutuação por ser água doce e até a temperatura mais fria da mesma, são características para as quais a sensibilização deve ser feita de forma diferente.
Quanto a nadadores salvadores, este ano o ISN formou mais 2 mil, o que eleva o número total para 6 mil nesta época balnear, embora existam muito poucos nos rios portugueses. Apesar do aumento gradual do número de vigilantes, Nuno Leitão prefere destacar a sensibilização como melhor arma de prevenção de acidentes ou mortes, porque «é humanamente impossível garantir a presença de vigilantes em todo o lado e a segurança passa muito pela atitude e conhecimento das pessoas» .
 
♦ ♦ ♦
 
Fragas de São Simão
 
foto retidada da internet

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

ESPAÇOS DO AUTOR

====================== INFORMAÇÃO GLOBAL PANDEMIA - LINKS UTEIS ======================

  • ======================

GRIPE HUMANA DE ORIGEM SUíNA, AVIÁRIA, PANDEMIA -> LINKS ÚTEIS

GRIPE HUMANA (Aviária e Pandemia) Ministérios Outros Países

PRESIDENTE DA REPÚBLICA

PESSOAS ADMIRÁVEIS

LEGISLAÇÃO

=> DIREITOS HUMANOS

INSTITUIÇÕES NACIONAIS

SIC-Soc. Informação e Conhecimento

FINANÇAS / IMPOSTOS

UE - INST. EUROPEIAS

Finanças,Gestão, Economia...

INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS

MÚSICOS E MÚSICAS

Imprensa / Informação

ONLINE - RÁDIO / TV / Imagens

EDITORES

ESPAÇOS CULTURAIS

LIVRARIAS

DADOS HISTÓRICOS

LIVREIROS / ALFARRABISTAS

ESPAÇOS AMIGOS

ESPAÇOS SUGERIDOS

VALEU A PENA CONHECER

RESTAURANTES

-> V I O L Ê N C I A

MEDICINA DENTÁRIA

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D